RESENHA: O Escaravelho do Diabo - Lucia Machado de Almeida

O Escaravelho do Diabo
SINOPSE: Trata-se de um livro de histórias policiais, em que a história gira em torno de assassinatos seguidos. As vítimas são todas ruivas legítimas, com a coloração capilar que lembra o fogo. Antes de morrer recebem um estranho pacote embrulhado, que contém dentro um escaravelho e que depois descobrem o nome cientifico que parece anunciar sua morte. Tudo começa com o assassinato de Hugo. Seu irmão Alberto, estudante de medicina, com a ajuda de Inspetor Pimentel e subinspetor Silva resolvem solucionar o mistério. Em uma de suas buscas pelo assassino de seu irmão e de outros ruivos da cidade, Alberto conhece Verônica, uma simpática senhorita que vive na pensão de Cora O’Shea, a partir disto, Alberto se vê dividido entre solucionar o mistério da morte de seu irmão, ou conquistar o amor de Verônica.


RESENHA: Hugo é um jovem de cabelos vermelhos, muito alegre e querido por todos. Um dia ele recebe um pacote e, dentro dele, um “besouro” negro. Ele mostra o estranho conteúdo para seu irmão Alberto, que logo pensa se tratar de uma brincadeira. Os dois então esquecem o assunto.
  Porém, no dia seguinte, Hugo é encontrado morto em seu quarto, com uma espada cravada no peito.  Alberto fica então obcecado por descobrir quem é o assassino de seu irmão.
  Um dia ele está em um ônibus, rumo à faculdade, quando vê em um jornal lido por um passageiro – na foto da publicação, o mesmo ‘besouro’ que foi enviado para Hugo, antes do assassinato. Na legenda da imagem o nome do inseto: Phanaeus ensifer o que significava, “o portador da espada”.  Alberto se surpreende com essa suposta coincidência. Haveria alguma ligação entre os dois fatos?  

  O escaravelho do Diabo é um livro publicado em 1984, pela Coleção Vaga-lume. Para quem não conhece, a Coleção Vaga-Lume é um conjunto de livros publicados pela Editora Ática. O conteúdo desses volumes eram histórias voltadas para o publico infanto-juvenil, nos mais diversos temas. Hoje em dia parece algo comum, mas imagine uma época em que não existia nem o termo Young Adult, livros para um segmento específico, livros voltados para o público mais jovem? A coleção vaga-lume fez um baita sucesso e tem fãs até hoje por esse motivo. #SaudosismoModeOn

  Bem, Alberto também era estudante de Medicina, profissão que escolheu por gostar de resolver mistérios – segundo ele sintomas eram pistas para se descobrir o culpado, ou seja, a doença. Uma coisa meio House m.d., tirado o fato de que a série não existia na época. Naquele dia ele estava trabalhando com seu professor na autópsia de um garoto ruivo, chamado Clarence.
  Quando viu o jovem Alberto sentiu um aperto no peito, pois se lembrou de seu irmão, também ruivo. Tais pensamentos quase fizeram com que o jovem não reparasse no odor de amêndoas amargas, desprendido no ar. Alberto então percebeu, o garoto havia ingerido Cianeto de Potássio! Ou será que havia sido envenenado?
  Pouco a pouco o caso de Hugo e Clarence vão se ligando. Ambos tinham cabelo vermelho e, Alberto descobre depois, ambos receberam um misterioso presente – a caixa com um besouro. Começa então uma caçada para pegar o assassino antes que ele mate mais alguém.

  Esse é o tipo de livro pelo o qual eu normalmente não daria nada, mas eu o ganhei de presente de aniversário, comecei a ler e fiquei curiosa. Mesmo tendo uma linguagem simplificada e, muitas vezes, um pouco infantil e exagerada demais, a história montada pela autora é intrigante a sua própria maneira. Lúcia Machado de Almeida consegue criar uma trama criativa e desenvolve-la de maneira mais ou menos coerente ao longo de 128 páginas, de maneira que eu (sinceramente) não pude decifrar o autor dos crimes, até que este fosse revelado.
  
  Sobre o final, este talvez seja o maior problema de toda a história: Foi um anticlímax tão grande a maneira como Alberto ‘decifrou’ a história, que eu até me senti inclinada a julgar o livro negativamente.
  Mas depois pensei bem e cheguei à conclusão de que é um livro razoável. Ok, os personagens são planos, a história está cheia de expressões desnecessárias em outras línguas e eu realmente não gostei de como tudo terminou. Porém me coloquei no lugar de uma criança/jovem de 10, 11 anos de idade que, vivendo em plena década de 80, tem acesso a um livro deste. Dá pra imaginar? Ela iria achar o livro fantástico e, com certeza, iria querer mais histórias desse gênero.
  Por esse motivo não dá para julgar ‘O escaravelho do Diabo’ com tanto rigor. Assim como outros livros da coleção-vagalume, ele foi criado para despertar o ‘gosto pela leitura’ dos jovens da época, fazê-los ler não só por que o professor mandou, mas também por diversão. Isso essa série fez muito bem, tanto que a maioria dos leitores mais velhos dessa época começaram lendo “Coleção Vaga-Lume”.
  Considerando isso minha nota é 7 – um livro razoável que indico para darem de presente para algum sobrinho/filho mais novo.

E você: Já leu algum livro da ‘Coleção Vaga-Lume’? O que achou? Comente!

Resenha feita por:

 Karol Rodrigues

11 comentários:

Kasinha da Nana disse... Responder comentário

Nossa eu li esse livro para o colégio e lá se vai bastante tempo e na época não gostei mas depois li de novo alguns anos depois e ai gostei muito do livro.

Rafaela. disse... Responder comentário

Gostei da resenha, foi muito sincera! ;)
Adoro histórias policiais, todo o clímax e etc.
Entendo o seu ponto de vista em relação a história, é realmente necessário levar em consideração a época em que o livro foi escrito e o seu público alvo.

Beijocas.
www.artesaliteraria.blogspot.com.br

Ariana Alves disse... Responder comentário

Faz-me lembrar dos tempos de escola...
Ia na biblioteca e devorava livrinhos desse tipo!
Amava!
Bons tempos...

Cristiane de oliveira disse... Responder comentário

Tempo bom os da escola no meu tempo, todo ano era obrigatório ler os livros da Coleção Vaga-Lume.

Lukinhas disse... Responder comentário

Eu tenho esse livro! A história é muito bacana, mas eu só não gostei do desfecho da história... achei muito forçado e sem criatividade. Na minha opinião destruiu a história, mas fora o final o enredo é perfeito! *-*

Douglas Dias Brandão disse... Responder comentário

Na biblioteca daqui tem, mas nunca tive a curiosidade de ler ele, acho que agora eu quero.
Bela resenha!

Karen Alvares disse... Responder comentário

Ah, nossa, eu adoro esse livro! Sabe, eu acho que você teve essa impressão negativa porque talvez já tenha passada um pouco da faixa etária do livro. Quer dizer, eu li quando criança e achei fantástico, super apropriado. =)
E ainda acho, porque minhas lembranças do livro são daquela época. Mas se eu ler agora, talvez também ache um pouco infantil e tals.

César R M Costa disse... Responder comentário

Li esse livro no final dos anos 80, eu era menino e achei o livro fantástico... Reli algumas vezes e sempre gostei muito... Você tomou a decisão correta ao julgar o final de sua resenha... Realmente, pensando como um adulto o livro poderia ser bobo, mas julgando como uma criança naquela época (meu caso) o livro era daqueles que te dava gosto de ler e de continuar buscando mais... Essa coleção Vaga-Lume foi muito importante para crianças daquela época...
Parabéns pela resenha

Bruna Cavalcante disse... Responder comentário

cuurti o livro pra caraamba veelho '#drx' no inicio num dava nada , por ele , agor já o li umas 3 vezes ! XP #Adoooro e indico *-*

TASSIANE TALITA disse... Responder comentário

trabalhei na casa da lucia machado de almeida,tempobom de mais eu lias varios livros que ela mim dava.principalmente vaga-lume...maestro johannes do teclado

Anônimo disse... Responder comentário

Ja li Bem vindo ao Rio, Enigma na televisao e Açucar amargo, esse vai ser o proximo, gostei do resumo

Postar um comentário

Vamos comentar ?